topo

Centro Auditivo Chapecó - Tudo sobre fonoaudiologia, informações sobre tratamentos auditivos e novos aparelhos para sua audição.

Centro Auditivo Chapecó - Tudo sobre fonoaudiologia, informações sobre tratamentos auditivos e novos aparelhos para sua audição.

Tudo sobre fonoaudiologia, informações sobre tratamentos auditivos e novos aparelhos para sua audição.

NOTÍCIAS

Aproveite e confira nossas notícias!

Novembro Laranja e Blitz do Ouvido, o que são?

Por Instituto Ganz Sanchez

  • Inspirada no Outubro Rosa, a Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido (Novembro Laranja) é um movimento nacional para popularizar problemas desconhecidos da parte interna do ouvido. 



    Como o assunto é importante, a campanha se espalhou para alertar por mais tempo que: 

      - Zumbido, tontura, hipersensibilidade (intolerância a sons) e perda auditiva são sintomas dos ouvidos mais vulneráveis; 

      - As várias causas precisam de investigação correta para serem descobertas; 

      - Tratar esses sintomas precocemente pode fazer a diferença na recuperação do ouvido. A Blitz do Ouvido é uma ?operação relâmpago?. Queremos que você dê uma paradinha rápida nos nossos pontos de atendimento móvel para examinar alguns problemas da parte mais externa do ouvido. Ela é uma expansão do Novembro Laranja.

    O que você sente quando algo está errado na parte externa do ouvido?

    Dor, coceira, sensação de tampado ou saída de secreção (clara, pus ou sangue). Mais raramente: zumbido, perda auditiva, hipersensibilidade a sons e tontura, mas costumam ser problemas da parte interna do ouvido. Procure seu otorrinolaringologista de confiança! Quanto antes tratar, melhor

    Se você sente alguma dessas coisas, saiba o que seu médico pode ver!

    Rolha de cera: a cera não é sujeira! Ela é uma proteção contra bactérias. O ouvido usa a cera como hidratante ou lubrificante; depois, os pelos a expulsam para fora do canal. Por isso, não remova a cera que está dentro do canal com nenhum objeto (hastes de algodão, grampos, palitos etc). 

    O jeito certo de limpar o ouvido é esperar a cera ser expulsa (porque já foi usada) e remover apenas essa parte com toalha ou lenço umedecido, sem colocar nada dentro do ouvido. Assim você não se machuca, não perfura o tímpano e nem empurra a cera mais para dentro. Algumas pessoas produzem excesso de cera e ela se acumula no canal, causando ouvido tampado, perda auditiva ou zumbido. Só nesses casos, ela deve ser removida.

    Descamação de pele: a pele do canal do ouvido é como a do resto do corpo: ela também descama de vez em quando. Às vezes, pedaços de pele descamada ficam presos no canal do ouvido e precisam ser removidos da mesma maneira que ocorre com a cera.

    Sensação de água no ouvido: se a água ficar presa no canal do ouvido, pingue algumas gotas de álcool com um conta-gotas. Como ele evapora rápido, o ouvido seca logo e o desconforto melhora. NÃO FAÇA se o tímpano estiver perfurado! 

    Veja nosso vídeo.

    Eczema: a pele do canal também pode ter alergia: ela coça, solta uma 'aguinha' e descama. Pode ser algo simples, mas o uso de hastes de algodão para aliviar a coceira pode provocar dor e piorar o problema. Procure seu médico!

    Fungos (otomicose): fungos gostam de locais úmidos e quentes, por isso a micose afeta várias partes da pele, inclusive os ouvidos. Ela é mais trabalhosa para tratar do que as infecções por vírus e bactérias. Quando ela se repete na mesma pessoa, deve-se avaliar se o sistema imunológico (nossa defesa) está alterado.

    Perfuração do tímpano: o tímpano é uma membrana fina que protege 3 pequenos ossos (martelo, bigorna e estribo). Ele pode perfurar por infecção (otite), acidente com hastes de algodão ou mudança abrupta de pressão e altitude. Pode cicatrizar logo ou ficar perfurado. Nesses casos, não deve entrar água para evitar infecções e uma cirurgia pode ser necessária.

Postado por  Vox Brazil Comunicação

12 dicas para manter a saúde auditiva!

O Instituto Ganz Sanchez fornece algumas informações para melhorar a sua audição




  • 1 - Em locais barulhentos: use protetores de ouvido e faça intervalos de 10min. Não ache normal  sair da balada com zumbido. 

    2 - Com fones de ouvido: evite ultrapassar a metade da potência ou usar mais que 2h. 

    3 - Alimente-se 4 a 6 vezes ao dia, evitando o abuso de cafeína, doces, sal, álcool e nicotina. 

    4 - Hidrate-se bem para seus rins eliminarem melhor as toxinas. 

    5 - Exercite-se 5 vezes por semana: seu metabolismo e circulação vão melhorar. 

    6 - Troque o silêncio por estimulação com baixo polimento de sons suaves, mesmo durante a leitura ou o sono. Isso ajuda no controle do zumbido e da hipersensibilidade a sons. 

    7 - Diminua o tempo de celular direto no ouvido, pois a radiação eletromagnética pode ser prejudicial. 

    8 - Evite auto-medicação: certos remédios podem agredir os ouvidos. 

    9 - Alivie seu estresse com atividades relaxantes eficazes: yoga, meditação, Tai-Chi-Chuan, Chi-Cong, etc. 

    10 - Incorpore mais momentos de prazer na sua vida para restaurar a função dos órgãos. 

    11 - Visite seu médico regularmente para exames preventivos gerais e auditivos. 

    12 - Acesse os vídeos gratuitos do GANZ (Grupo de Apoio Nacional a pessoas com Zumbido)  no canal www.tvzumbido.com.br ou pelo site www.institutoganzsanchez.com.br 

Postado por  Vox Brazil Comunicação

Comunidade médica brasileira focada no tratamento e cura do zumbido no ouvido

Novembro Laranja - Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido


  • A 12ª edição do Novembro Laranja (Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido) promovida pelo Instituto Ganz Sanchez, primeiro centro brasileiro especializado no tratamento de Zumbido, Misofonia e Hiperacusia, visa alertar a população sobre as causas e formas de tratamento do zumbido e reforçar como a comunidade médica pode oferecer aos seus pacientes opções de tratamento com melhora, e até cura, de um sintoma que já atinge mais de 40 milhões de brasileiros.

    A Profa. Dra. Tanit Ganz Sanchez, idealizadora do Novembro Laranja e fundadora do Instituto Ganz Sanchez, há mais de 20 anos se dedica à pesquisa e ao atendimento de pacientes com zumbido e explica a importância do engajamento da comunidade médica na Campanha deste ano.

    "O sucesso do tratamento de qualquer problema de saúde está diretamente ligado à informação e ao interesse que a comunidade médica tem sobre o assunto. Com o zumbido não é diferente, mas por muitos anos ele não foi reconhecido como um sintoma tão comprometedor da qualidade de vida. Por isso, convidamos colegas médicos de todas as regiões do Brasil para dar dicas práticas à população sobre a experiência de cada um, mostrando que o zumbido, como vários outros problemas de saúde, pode ter uma melhora parcial ou total se for adequadamente investigado e tratado". 

    Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ganz Sanchez, e apresentada pela Dra Tanit no I World Congress of Tinnitus, ocorrido em maio de 2017, em Varsóvia, Polônia, reuniu dados completos e depoimentos dos primeiros 50 pacientes brasileiros que já obtiveram a cura do zumbido.

    Profa. Dra. Tanit Ganz Sanchez

    O método envolveu catalogação dos dados e entrevistas gravadas com consentimento de ex-pacientes que tinham zumbido, fizeram algum tipo de tratamento e obtiveram sucesso total, sem recidiva por um prazo superior a 6 meses, que chegou a alcançar mais de 20 anos em alguns casos. Esse passo pode ajudar a mudar definitivamente as crenças erradas da população, dos profissionais e dos pesquisadores.

    Após a notoriedade conquistada com mais de uma década de Campanha, a especialista fala sobre a parceria com profissionais de vários estados do Brasil que passaram a dedicar tempo e estudo ao tratamento do zumbido.

    "A ajuda da população mais informada pelas campanhas anteriores - e ávida por tratamento em suas cidades - foi fundamental para acelerar esse movimento médico, pois ela levou as informações aos seus respectivos profissionais para juntos buscarem o tratamento. Esse círculo virtuoso já conseguiu mudar o cenário do zumbido no ouvido nesses anos, mas ainda tem muito para crescer",  sentencia a médica que, desde 1994, observa o sintoma se alastrando entre crianças, adolescentes e adultos, e que também defende o abandono das crenças errôneas da Medicina sobre o zumbido ser um problema exclusivo da 3ª idade e sem cura.

    No cenário atual, o Zumbido é visto como um sintoma da vida moderna, pois pode ser causado por erros alimentares, exposição abusiva ao sons altos, celulares e medicamentos, por ansiedade e depressão com as dificuldades da vida diária, etc.

Postado por  Vox Brazil Comunicação


Ver todas